Documentos:
» Pesquisar
Date Picker
» Coletividades

 

Neves Futebol Clube

Centro Recreativo e Cultural de Neves

Grupo Juvenil

Cantadeiras do Vale do Neiva


 

 

 

 

Neves Futebol Clube

 

A ideia da constituição de uma equipa de futebol e da construção de um campo de jogos surgira na sapataria do Eugénio e Marotão, junto ao Largo das Neves, pelos anos 30. 

Isto levou a que um grupo de jovens arrendasse com Armando Durval Pereira Novo uma bouça que limparam e nivelaram, manualmente, de forma que em 1934 já houve um jogo entre Foot ball das Neves e o Sporting de Mazarefes.

Tendo falhado nas prestações mensais, este mini-campo, em 1935 estava transformado em terreno de cultivo e pertencia a Domingos da Costa Júnior (Canetas). Em 1936 arrendaram-lho e transformaram-no, novamente, num campo de jogos.

Para que não lhes acontecesse o mesmo do passado, em 1937 convidaram para presidente da primeira direcção o Alferes Pinto Ribeiro que, em 1938, dera resposta afirmativa e, deste modo, permitira que o campo fosse inaugurado oficialmente em 28 de Maio de 1938, juntamente com a primeira sede, sita no largo das Neves, em prédio arrendado, que ladeava a entrada do Albardeiro. Posteriormente, esta passou por diversos locais, incluindo o complexo desportivo e em 31/08/1997 fixou-se em definitivo no primeiro andar da antiga sede da Junta de Freguesia.

Em 1946 foi o campo alargado para as medidas, terraplanado e vedado e, em 1948, o Neves, participando no torneio das bodas de ouro do Sport Clube Vianense vencera a taça em disputa, “Rufino Miguel”, primeira do seu historial.

A inscrição na Associação de Futebol de Braga deu-se na época 1967/68, altura em que a denominação do campo deixou de ser “do Pousado” para vigorar “Alferes Pinto Ribeiro”.

Antes de se transferir para a recém criada Associação de Futebol de Viana do Castelo, na época 1972/73, da qual o Neves fora um dos sócios fundadores, conseguira em 1969/70 a iluminação do recinto de jogos, melhorada logo em 1973 e que, com o andar dos anos, fora modificada e ampliada, sucedendo outro tanto com a vedação, em rede, e com a bancada, que, desde 1980/81, abriga balneários, posto médico, secretarias, roupeiros, lavandaria, etc.

Conquistou, no seu historial, muitas taças, de “Disciplina” e da “A. F. de Viana do Castelo” e, na época 1979/80, vencera a divisão distrital, o que lhe permitiu subir, pela primeira vez, à terceira divisão nacional e desta ascender à segunda nacional (1981/82). Daí em diante, oscilando entre as regionais e a terceira divisão foi andando até que em 1991/92 voltou a disputar a segunda divisão B nacional.

Sendo exigido o arrelvamento do campo, este ficou concluído no mês de Setembro e custou vinte e cinco mil contos (dezoito mil – Câmara Municipal; cinco mil - D.G. de Desportos; dois mil – A. F. de Viana do Castelo). A 8 do referido mês foi visitado pelo secretário do Presidente do Conselho de Ministros, Dr. Luís Marques Mendes, e a inauguração deu-se a 13 de Outubro.

Após a alteração dos Estatutos no ano de 1985, em 1986 foram inaugurados os novos e melhorados espaços abrigados pelas bancadas e concedido o estatuto de instituição de utilidade pública, em 20 de Abril de 1986, pelo Diário da República, IIª série, n.º 76.

Em 1987/88, ao festejarem o 50º aniversário, deslocara-se a primeira vez a França (Villejuif), convite mantido até 2005/06.

No ano de 1990, a Junta de Freguesia obtivera o recinto por compra (oferta) a Armando Durval Pereira Novo. Avaliado em vinte mil contos, o ofertante exigiu da Junta que o usufruto fosse do Neves F.C. e que no caso de este cessar as actividades desportivas a Junta de Freguesia teria de manter o parque desportivo até que o Neves F.C. reiniciasse as suas actividades, ou então teria de o ceder a outras associações desportivas, e ainda que fosse “colocada uma placa no campo com os seguintes dizeres: Foi este campo oferecido ao povo das Neves pelo senhor Armando Pereira Novo, sócio fundador e benemérito do Neves F.C.”

Depois de vários anos de tentativas, o campo de treinos, em Mujães, apesar de somente terraplanado, decapado e com pó de pedra, foi inaugurado em 31 de Agosto de 1997 pelo presidente da Câmara, Dr. Defensor Moura, mas a vedação só foi iniciada em 1999.

Em 21 de Janeiro de 1998 teve o Estádio o seu baptismo internacional com o jogo particular Portugal-França (sub-15), organizado pela F.P.F. nas comemorações do Primeiro Centenário do Vianense.

Desde 1998/99 o Neves tem disputado a divisão de honra da Associação de Futebol de Viana do Castelo, excepto em 2000/2001 e 2004/05, épocas que se bateu com os grupos da terceira divisão.

Em 2005/06 a concluir a época desportiva realizara-se a primeira Gala Festiva as quais se prolongaram até 2008/09. Na de 2006/07 surgiu o hino do Neves da autoria de Florêncio Carvalho.

Em 2012/13, no âmbito da celebração dos setenta e cinco anos do Neves F.C., que lutara pelo primeiro lugar até à última jornada, além de ter recebido o diploma de “Instituição de Mérito”, atribuído pela Câmara Municipal de Viana do Castelo, beneficiou de novos acessos ao parque desportivo, de piso sintético no campo secundário e da publicação de um livro de memórias.

Do seu historial constam ainda as Camadas Jovens, as Velhas Guardas (fundada em Janeiro de 1989) bem como as secções de Columbofilia, Atletismo, Cicloturismo /BTT, Duatlo e Boxe.

As direcções eleitas por um ou dois anos e as comissões administrativas, apesar das dificuldades, têm-se esmerado, até à data presente, pelo progresso da colectividade.

 

 

Centro Recreativo e Cultural de Neves

 

Fundado em Fevereiro de 1975, viu a sua legalização confirmada em 1977, ao ser-lhe concedida personalidade jurídica em 13 de Maio, segundo o Diário da República de 30 de Junho do mesmo ano, e o seu trabalho reconhecido ao ser-lhe atribuído, pelo governo, em 2000, o Estatuto de Utilidade Pública.

Contando com cerca de quatro centenas de associados, está sedeado nas Neves, na rua Senhor da Saúde, e desde 31/08/1997, conforme protocolo assinado pelo presidente da Junta de então, Armando da Rocha Moreira, e o representante do Centro, Amadeu Domingos Fernandes Silva, utiliza o rés do chão, norte, da actual sede da Junta de Freguesia.

Tem a seu cargo o jornal mensal “Amanhecer das Neves” que, em 2008, celebrou o 30º aniversário, e desde sempre apoiou e desenvolveu acções desportivas, culturais e de lazer, tais como: ténis de mesa, snooker, damas, karaté, atletismo (estreou-se a 17/06/1984 e contou com atletas da fibra de Dores Leal, Analídia Torre e Marco Novo, entre muitos), cicloturismo, futebol de salão, torneios de malha, sessões de vídeo e de cinema (auto da Floripes – 1998 e 2000), debates, concursos de fotografia, espectáculos musicais, exposições, e escola de música (em 1989 as lições incidiam no aprender a dedilhar cavaquinhos, viola e concertina).

No período de 1986 a 89 manteve um posto emissor de rádio e em 1994 adquiriu, com a ajuda do governo, material informático.

Tem participado em vários “fóruns da Juventude” e obtido distinções, das quais se destacam o “Troféu Minhoto” (2005) bem como os “Reconhecer o Mérito”, do Ministério da Juventude (2001) e do Instituto do Desporto (2006).

Em 2013, ano em que actuou em ténis de mesa, no campeonato nacional da segunda divisão, modalidade desportiva federada que mantém em actividade dezenas de jovens, assinou com a Junta de Freguesia uma escritura notarial em que esta lhe cede o “direito de superfície, por cinquenta anos” de um terreno junto ao complexo desportivo que lhe irá permitir a construção das infra-estruturas necessárias para as suas actividades, cujo projecto da primeira fase já se encontra aprovado.

Mediante diversas acções culturais e recreativas, apostas claras e de interesse para a população, sejam os rastreios gratuitos pela saúde, sejam as desfolhadas, as festas dos Santos Populares (S. João), o Encontro de Motas Antigas, os tapetes floridos e o apoio em publicações de livros, vai se impondo e aumentando cada vez mais o seu prestígio.



Grupo Juvenil

 

O 26 de Outubro de 1985 assinala a sua fundação. Como autores da ideia, Ricardo Veiga, António Areias, Artur Lima e Torcato Gonçalves deixaram-no, no início, na dependência do Centro Social e Paroquial. Quatro anos volvidos, com estatutos próprios, viu-se reconhecido e oficializado de acordo com o Diário da República, n.º 45.

Pretendendo que os sócios e a população em geral se cultivassem intelectual e fisicamente, facultou-lhes a prática do atletismo, da ginástica e do judo, a participação em torneios de ténis de mesa, xadrez, damas, malha, futebol de cinco, tiro ao alvo, magustos e exposições, estas nas festas locais, e em sessões de cinema, de música, de teatro, desfolhadas e jogos tradicionais.

Desde a existência arcou com a organização da Via-sacra, com quadros vivos, na Sexta-feira Santa até 2000, em colaboração com os grupos dos Escuteiros, Catequese, Shalom e a Junta de Freguesia, e festas de Natal das crianças.

De 1986 até ao presente tem tido ao seu cuidado os grandes prémios de atletismo de Vila de Punhe, que antecedem as festividades e continua a participar com equipas masculina e feminina em campeonatos de rampa, estrada, corta-mato e outras provas de atletismo.

Está sedeado na Avenida da Igreja em pavilhão pré-fabricado que os filiados, com ajudas sobretudo da Autarquia, restauraram após a entrega em 1989. Passados três anos, ao receberem o outro pavilhão anexo também rapidamente o melhoraram.

As exigências de deslocação de atletas fez com que, pedindo ajudas várias, adquirisse uma carrinha no ano de 1994 e, posteriormente, uma segunda.

Com actos solenes e condignos, festejaram os frutíferos 25 anos de vida em 24/10/2010.

Actualmente a secção de atletismo vai vivendo do bar e com as contribuições dos sócios, as dádivas amigas, donde provêm a maioria dos fundos, e as ajudas das entidades locais.

 

 

Cantadeiras do Vale do Neiva

 

Sendo um grupo de cantares populares “à capela”, no seu reportório inclui músicas religiosas e profanas, antigas e modernas, rezas e lenga-lengas, recolhidas, desde os anos setenta, pelo fundador Manuel Delfim da Silva Pereira, nas terras do Vale do Neiva.

Fundado em 16/12/1982, a sua apresentação, com senhoras, essencialmente, de Portela Susã, deu-se a 25 do mesmo mês e ano, em Barroselas.

Elemento instituidor de “A Mó – Associação do Vale do Neiva”, em 1987, dirigiu-a até 1999 e dela fazia parte integrante o grupo das Cantadeiras, o qual, nos primeiros anos, chegou a se acompanhado por alguns instrumentos musicais.

Inactivo, devido à doença do fundador, entre 2000 e 2002, ano da sua morte, a viúva Maria Lassalete Lima Gonçalves, em homenagem de perpetuação do marido, ainda em 2002, 15 de Dezembro, voltou a dar-lhe vida.

Com o apoio de novas vozes, a entrega dos componentes e a fidelidade e esmero do guarda-roupa, a sua presença em acontecimentos festivos e eventos etnográfico-culturais passou a ser requisitada e valorizada sempre mais.

Do seu brilhante palmarés, não esquecendo as comemorações dos vinte e cinco anos iniciadas em 27/04/2007, em Vila de Punhe, no quinto aniversário da partida do fundador, continuadas em Julho (14/15) com uma exposição do espólio do grupo, na Casa do Povo de Barroselas, e concluídas no dia do aniversário, a 16 de Dezembro no salão nobre da Autarquia de Vila de Punhe, com a actuação das “Cantadeiras”, da Academia de Paredes do Douro, do clarinetista David Silva, da pianista Carla Quelhas e do Professor do Conservatório Cândido Lima, pianista e compositor, as gravações efectuadas e os múltiplos êxitos alcançados como confirmam os primeiros lugares obtidos nos concursos “etnográfico - Henrique Rabaças”, entre concorrentes de dezanove distritos, “teatro música e etnografia” do Inatel, região Norte, e a final nacional em Leiria (2010), e ainda as posteriores actuações em Lisboa (2008), em Viana do Castelo (2009), entre outras, atestam o valor e competência do mesmo.

Reconhecido, em 2009, como “Associação das Cantadeiras do Vale do Neiva”, já sedeados em Vila de Punhe, desde Julho desse ano, celebraram os vinte e oito anos (2010), com o lançamento de um novo DVD e a presença do grupo etnográfico dos hospitais da Universidade de Coimbra.

Nas muitas e brilhantes apresentações, tendo sido a última no dia 26 de Maio, na Igreja de Vila de Punhe, continua acumulando louvores e distinções.

 



(Alípio R. Torres)


Dia dos Avós...
2017-07-20 16:03:00 Na próxima quarta-feira, dia 26 de julho, pelas 14h, no recinto da Escola Primária de Vila de Punhe.
Mostra de Sabores e Artes...
2017-07-10 09:44:00 realizada no dia 15 de julho, no Largo das Neves.
Eixpressões...
2017-07-07 17:01:00 Irá realizar-se o 7º Encontro do Teatro Popular do Noroeste Peninsular 2017, nos dias 8 e 9 de Julho no jardim público de Viana do Castelo e, no dia 15 de Julho, no Largo das Neves.
Tempo Viana do Castelo